terça-feira, 24 de março de 2015

Scat: ninguém quer entendê-los


O fetiche conhecido como scat pode abarcar o tesão por cuspe, suor, chulé, vômito, mijo, peido e merda – ou tudo isso misturado. É até comum encontrar quem goste de levar umas cuspidas durante aquele sexo louco, no entanto manusear cocô, ou idolatrar os gases de alguém é algo para poucos. Com o tesão por merda é assim: o mesmo cu que é penetrado torna-se abominável quando defeca.

Para fazer esta matéria, contatei os entrevistados via sites especializados em scat, ou em comunidades do Fetlife. Apenas um dos participantes é um amigo pessoal, que me mandou uma mensagem privada ao saber da pauta e me revelou altos segredos. Todos eles usam nomes fictícios, porque, caso contrário, seriam condenados e zoados pela gentalha.

Perguntei a todos os entrevistados qual a primeira lembrança que tinham sobre gostar de scat. Em todos os relatos é possível perceber que é uma experiência positiva para eles, não associada ao prazer pela humilhação (que não seria também algo necessariamente problemático):

Silvia: me lembro que quando era criança gostava de brincar com xixi. Eu morava em um sítio e fazia em lugares diversos, em potinhos… Eu fazia no banho e passava no corpo.

Poopy Pants: eu tinha doze anos e fiz cocô nas calças enquanto olhava uma revista Playboy. Me masturbei pela primeira vez naquele dia, sentindo minhas calças cheias de merda.

Rickyb58: eu comecei com 14 anos. Li uma carta na Revista Penthouse de alguém que gostava de colocar bananas no cu e cagá-las para fora. Quis tentar. Como eu tinha dificuldade em colocar bananas descascadas na minha bunda, então eu apenas comecei a cagar nas calças e amei a sensação.

Léo Scat: desde criança, com 7 ou 8 anos de idade, tenho lembranças de gostar de merda. Nessa idade, inclusive, cheguei a cheirar a bunda de um amiguinho meu e só confirmei que adorava cheiro de cu sujo e de cocô.

Cezinha: com uns 14 anos de idade, no meio dos meus pornôs “normais” que eu baixei, veio um de uma japa que vomitava numa panela, mexia e comia de novo. Ela repetia isso por uns 10 minutos, era uma panela grande, parecia que ela estava cozinhando algo do jeito que ela mexia. Era muito foda e isso me deixou extremente excitado.

Vivo Clarotim: meu gosto por scat veio tarde. Há dois anos, vendo um site de pornô gay, me deparei com esse vídeo de scat. Achei interessante, não sei bem a princípio o que me chamou atenção, mas gostei. Logo segui vendo mais vídeos, até que encontrei no mesmo site outro vídeo desse mesmo cara e gostei mais ainda.

Natasha Vilarino- Jornalista



13 comentários:

  1. Quando eu era mais jovem eu curtia, mas foi só uma fase, passou

    ResponderExcluir
  2. Parece provocante, mas não sei se teria coragem nao

    ResponderExcluir
  3. É uma boa opção para quem esta entediado no sexo.
    Richard

    ResponderExcluir
  4. Obrigado a todos pelo carinho com meu blog.

    ResponderExcluir
  5. Isso é maravilhosoooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  6. Viva a liberdade sempre.
    Obrigado a todos pela visita.

    ResponderExcluir
  7. Isso é uma tendencia , não temos como negar . . .

    ResponderExcluir
  8. Não teria problemas com isso. Faria sim com alguém que também curte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi faz em mim curto pra caramba vc e homem ou mulher

      Excluir
  9. Obrigado a todos pelo carinho com meu trabalho!

    ResponderExcluir
  10. Curto isso desde os 12 anos! Mas meu tesao mesmo e defecar me mulheres! Dependendo dp clima posso receber tambem!! Procuro mulher tarada nisso! Ja pratiquei algumas vezes! E-mail e skype para contato: simon_thaur@hotmail.com

    ResponderExcluir